Mês: Novembro 2017

5 Razões para que a Inteligência Emocional seja uma ferramenta indispensável para Super Líderes

Sempre que pensamos em pessoas inteligentes, imaginamos matemáticos a resolver equações dificílimas, grandes escritores premiados com o Nobel da Literatura ou filósofos, certo?

Mas este nível de brilhantismo assume diversas formas, principalmente como a habilidade de compreender e gerir emoções, mais popularmente conhecida como Inteligência Emocional. E os Super Líderes utilizam da melhor forma a sua Inteligência Emocional.

Vejamos como é que a Inteligência Emocional pode fazer-te brilhar:

 

  1. Consciência Intensa

Permite-te compreender os efeitos dos teus sentimentos. Isso é crucial sempre que precisas tomar decisões com impacto e objetivas, com o teu orgulho e autoestima em jogo. Quem nunca demonstrou apreço por uma certa ideia ou estratégia que se revela má ou errada, e que depois teve dificuldade em reconhecer que “a coisa” não funciona?

Líderes com elevada Inteligência Emocional conseguem perceber sempre que o seu orgulho (ou outra emoção) está a influenciar a sua forma de pensar, permitindo tomar decisões mais imparciais e racionais.

 

  1. Interpretação dos Impactos Emocionais

A Inteligência Emocional torna também mais fácil antecipar e responder aos sentimentos dos outros. Por mais que queiramos ser objetivos, os negócios e a vida nas empresas são sempre experiências emocionais.

As más notícias podem surpreender ou desanimar as equipas de trabalho, enquanto as boas notícias podem torná-las incrivelmente otimistas. A Inteligência Emocional significa que podes antecipar como os outros irão reagir e desenvolver uma estratégia para mantê-los focados.

 

  1. Gestão da Saúde Mental

Ao reconheceres as possíveis ameaças à saúde mental (ansiedade, stress, depressão, luto, trauma, entre outros) da tua equipa de trabalho, podes assegurar que recebem todo o apoio e recursos necessários para recuperarem. Não só tem vantagens a nível da saúde como promove um ambiente de trabalho mais harmonioso e produtivo.

 

  1. Cultivar a Comunicação

Líderes com Inteligência Emocional têm uma capacidade melhorada para avaliar a reação dos outros às suas palavras e ações. Isto torna mais fácil a comunicação, porque consegues perceber se toda a tua equipa está em linha com a mensagem. E se não estiver, tu consegues perceber isso, mesmo que eles nada digam, e reformular a mensagem, desenvolvendo formas de comunicação mais eficientes para com todas as pessoas da tua equipa.

 

Também consegues tornar-te um melhor ouvinte, isto é, ouvir de forma clara e sem julgamento que os outros têm a dizer. Garantes assim que todos irão dar-te sempre as informações que precisas.

 

  1. Humor Útil

Nunca subestimes a importância do humor nas empresas e nos negócios. Uma boa piada ou um jogo de palavras inteligentes pode animar elementos da tua equipa que estejam mais em baixo, conquistar clientes céticos e atrair uma atenção positiva para a tua marca. É importante que encontres quais as situações adequadas para aplicares o humor para conseguires criar um balanço apropriado de seriedade e descontração.

 

Reforçamos que a Inteligência Cognitiva (QI) é sempre importante, mas a Inteligência Emocional (QE) é a chave para o sucesso na liderança e na capacidade de nos relacionarmos com os outros. A Inteligência Emocional vai ajudar-te a escolher o melhor método para resolveres os desafios e alcançares os teus objetivos, da tua empresa e da tua equipa.

 

Tradução adaptada de https://www.forbes.com/sites/forbescoachescouncil/2017/10/30/why-emotional-intelligence-is-indispensable-for-leaders/#f7ffb2275b78

#11 Desafio 2017 – Relacionamentos Pessoais

Olá!

Chegamos ao mês de Novembro e é altura de mais um desafio mensal.

Este mês é tempo de desenvolvermos os Relacionamentos Pessoais. Este tema é muito importante e traz um impacto tremendo no nosso bem-estar e felicidade.

Os últimos 10 desafios que lançamos, foram:

 

Existe evidências científicas sólidas que mostram que as relações pessoais afetam a nossa saúde de inúmeras formas, incluindo a nossa saúde mental, física, hábitos saudável e até o risco de mortalidade.

Investigadores da Universidade de Chicago nos EUA, descobriram que a solidão extrema aumenta a probabilidade de morte prematura por 14%. Este impacto é quase tão forte como o impacto que existe em termos uma forte desvantagem no nosso status sócio-económico.

John Cacioppo, professor de Psicologia da Universidade de Chicago nos EUA, mostrou que as consequências de não mantermos relações pessoais e ficarmos isolados são dramáticas. O sentimento de solidão pode prejudicar o nosso sono, aumentar a pressão sanguínea, aumentar a hormona de stresse cortisol, alterar a expressão de genes em células imunitárias, aumentar a depressão e baixar o sentimento de bem-estar subjetivo.

No entanto, é muito comum considerarmos que as relações têm que funcionar automaticamente, sem esforço. Muitas pessoas tendem a não esforçar-se o suficiente para manter relacionamentos a longo prazo, mantendo o contacto com alguma periodicidade. Outras pessoas, na sua azáfama diária, consideram que não podem perder tempo para estar com os seus amigos e vão adiando interações sociais, até ao ponto que estas se perdem. Mas não fomentarmos relações pessoais, faz-nos o inverso. Perdemos tempo e qualidade de vida.

Não te preocupes se tens poucos amigos ou pessoas que possas ou queiras estar. Para nós e para os nossos amigos sentirem os benefícios físicos e mentais que existem, o que conta é a qualidade e não a quantidade dos relacionamentos!

O desafio deste mês é muito simples, mas muito necessário. Em cada semana, escolhe um amigo ou familiar e marca algo com ele/a. Começa a treinar esta área da tua vida, que tantos benefícios nos traz.

 

Bons treinos!

 

 

 

 

 

Subscreva a newsletter

Para receber todas as novidades em primeira mão…