Mês: Abril 2021

O Que é Uma Emoção?

As emoções têm vindo a ser alvo de estudo há muito tempo, mas nem sempre têm tido este nome.

No século XIX foi quando surgiu o conceito de Emoção na língua inglesa, adaptada do termo Francês “émotion”, que significava algo que agita as coisas, movimento.

Claro que as pessoas já sentiam emoções antes, mas davam outros nomes, como paixões ou apetites.

Antes dessa época, valorizava-se o conceito de alma, mas desvalorizavam-se as emoções. Eram algo que se intrometiam na razão humana, algo que impedia a lógica.

Aristóteles, foi um filósofo, que tinha uma visão diferente, considerando-as muito importantes, entendendo-as como algo que se situava entre uma cognição elevada e uma vida sensual inferior.

A partir do século XIX várias correntes da psicologia XX, tentaram limitar o que é denominado experiência emocional.

Para o comportamentalismo, que foi a corrente dominante durante a primeira metade do século XX, estas eram consideradas fenómenos confusos e com pouco poder explicativo, sendo caracterizado pela subjetividade e pouco científico. Para esta visão da psicologia, aquilo que fossem processos interno, como as emoções, não podiam ser estudados.

Entretanto, a partir dos anos 60 e 70 do século XX, as emoções deixaram de ser encaradas como fenómenos inconvenientes e não científicos e os investigadores consideraram o estudo deste tema e começou a surgir mais investigação. 

Este interesse foi particularmente evidente na Europa, onde as emoções ocuparam um lugar central em certas filosofias, mas não tanto na América do Norte, onde existe um foco grande na lógica e  estas continuaram a ser pouco valorizadas.

Definição de emoção

As emoções podem ser consideradas um dos conceitos mais difíceis de explicar e, desde que em 1884, William James perguntou “O que é uma emoção?”, surgiram dezenas de definições. Ainda não existe uma definição consensual e aceite pela generalidade dos investigadores da área ou capaz de abranger toda a investigação já realizada, parecendo que “todas as pessoas sabem o que é uma emoção, até lhes pedirem que deem uma definição” (Fehr & Russell 1984, p. 464). 

Podemos, no entanto, identificar três elementos que, de uma forma relativamente consensual, são considerados essenciais para uma definição de emoção:

  1. O primeiro refere-se à presença de reações ou alterações fisiológicas, sendo que cada emoção parece vários padrões de reações fisiológicas, o qual pode incluir alterações no sistema nervoso autónomo;
  2. Um segundo conjunto de variáveis é referido como ‘tendências para a ação’, onde estão incluídas ações como aproximação ou afastamento de um lugar ou de uma pessoa ou, ainda, a adoção de uma determinada postura corporal (Lazarus, 1991a);
  3. A última componente refere-se à experiência subjetiva da emoção. O que as pessoas descrevem relativamente ao que estão a experienciar quando se sentem irritadas, ansiosas, ou orgulhosas, descreve as condições que geram uma emoção ou indica os objetos em questão ou as crenças subjacentes às suas reações.

Uma definição então pode ser que as emoções são um conjunto de programa de ações de forma a respondermos de forma biologicamente vantajosa. 

#4 Desafio Mensal 2021 – Desenvolver o Otimismo

Mesmo que soubesse que amanhã o mundo iria acabar, plantaria à mesma a minha árvore de frutos.” – Martin Luther King

O desafio do mês de abril é sobre desenvolver o otimismo.

O otimismo é a disposição para encarar as coisas pelo seu lado positivo e esperar sempre por um desfecho favorável, mesmo em situações difíceis e adversas.

Este termo abrange dois conceitos próximos e correlacionados: a inclinação para a esperança e a tendência para acreditar que vivemos no melhor dos mundos possíveis. 

Ou seja, é a tendência de olhar para o futuro com uma perspetiva positiva.

Os otimistas tendem a ter mais atitudes protetivas, são mais resilientes ao stress e utilizam estratégias mais eficazes para lidar com as adversidades e com o stress.

Cada vez que um evento surge no nosso dia-a-dia, existe uma narrativa que surge. Essa narrativa pode ser mais ou menos otimista. Então, uma das formas de treinarmos o otimismo, é mudarmos a forma como respondemos aos eventos negativos. 

Os pensamentos catastróficos são uma receita para nos tornarmos pessimistas. Quando contamos para nós próprios que aquela é a pior situação, que tudo vai correr mal, que o futuro é sombrio e que nós não somos competentes.

Então, para o desafio deste mês, cada vez que um evento surgir e iniciares uma narrativa pessimista, evita o pensamento catastrófico. 

Os pensamentos catastróficos podem ser como: “isto acontece sempre comigo”; “hoje o dia vai correr mal”; “sou um(a) inúti“.

E como transformar este pensamento catastrófico?

Uma das dicas é verbalizar o que ocorreu de forma específica e orientada para a ação.

Em vez de um evento negativo surgir e dizermos “isto não devia ter acontecido, não presto para nada“, podemos pensar “esta situação não correu da melhor forma, vou analisar o motivo para melhorar da próxima vez”.

Clica aqui para fazer download do desafio deste mês.

Bom desafio!

Subscreva a newsletter

Para receber todas as novidades em primeira mão…